Ministério da Cultura e Secretaria de Cultura do DF apresentam
Banco do Brasil apresenta e patrocina

Em quase uma década de existência, o Lobo Fest, Festival Internacional de Filmes trouxe para Brasília a primeira competição internacional de filmes de curta-metragem e inaugurou no Brasil o formato curtíssimo. A partir da última edição, o festival deu um passo ousado e expandiu seu conceito, não mais se limitando ao formato que o consagrou, mas se afirmando como um evento disseminador das diversas possibilidades estéticas, temáticas e narrativas, além de hábitos e comportamentos sustentáveis em toda a sua cadeia – da pré-produção à pós-produção. Nessa perspectiva, adotou o lobo guará – animal típico do Cerrado que está em risco de extinção – como símbolo de resistência e compromisso com o ecossistema.

Uma outra característica do Lobo Fest é a sua circulação para além da semana competitiva de seus limites geográficos com sua proposta de se expandir para as comunidades fora do plano piloto. Na última edição, por exemplo, o Lobo Fest levou seleções a partir de sua programação para várias comunidades do Distrito Federal (São Sebastião, Núcleo Bandeirante, Estrutural, Lago Oeste e Riacho Fundo). No percurso do festival e suas atividades ao longo do ano foi ofertada uma master-class com o diretor uruguaio Mauro Sarser para uma plateia de 1800 estudantes da escola pública São Francisco, em São Sebastião. Este ano o Lobo Fest circulará por cinco regiões administrativas nos meses de novembro e dezembro. A ideia é levar às escolas públicas uma amostra do festival e atividades de formação do olhar para crianças, jovens e professores.

Desde a primeira edição, o Lobo Fest teve uma expressiva acolhida de público e mídia, alcançando a marca de cerca de 38.000 espectadores nas edições inéditas e mais aproximadamente 8.000 graças à itinerancia pós-festival em todo o Distrito Federal. A organização do Festival, além de apresentar todos os filmes das Mostras Internacionais, realiza uma Mostra Competitiva de Filmes Nacionais, da qual todos os realizadores brasileiros podem participar, panoramas de filmes, mostras internacionais, homenagens, seminários e debates. Além disso, os filmes do Distrito Federal integram também uma seleção local. Desde sua primeira edição, o Festival permitiu apresentar ao público com exclusividade uma programação de mais de 1700 filmes realizados em diferentes países e em diversas regiões brasileiras. Graças ao Lobo Fest foi possível revelar a expressiva diversidade regional brasileira. Dentre as atividades paralelas, o Festival apresentou ao público diretores consagrados pelos curtas e longas, com a presença de nomes como Joel Pizzini, Ivan Cardoso e Adirley Queiróz.